TEXTO NA INTEGRA DE GABRIEL AZEVEDO, VEREADOR EM BELO HORIZONTE.

Hoje é dia internacional da democracia. Convém portanto lembrar… Não existe democracia sem democratas, quer dizer, sem liberais-políticos. O que fazer diante do deficit deles?

Constata-se hoje um deficit de liberais-políticos (democratas convictos). Porém, liberais-políticos não se formam espontaneamente em volume desejável porque a cultura predominante não é liberal e porque está um curso uma recessão e uma desconsolidação democráticas.

Assim, é necessário proporcionar processos de aprendizagem da democracia. Iniciativas de educação política deveriam hoje contribuir para ensejar o surgimento de liberais-políticos, em especial de democratas inovadores, focalizando preferencialmente os democratas conservadores e os democratas formais (além dos seguidores de doutrinas do liberalismo-econômico que ainda não tomam a democracia como um valor universal e como principal valor da vida pública).

Ou, dizendo de modo inverso, deveriam servir para desestimular o surgimento de populistas (de esquerda ou de direita), de liberais-econômicos que não priorizam a democracia e, se for possível, de antidemocratas não-eleitorais. Essa é a nossa prioridade.

O tema da celebração da data nesse ano, criada em 2007 pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, é participação. Não há regime democrático de fato se as pessoas não participam. Lembrar isso na nossa jovem democracia brasileira é muito importante.”

Eduardo Carolino.